segunda-feira, 5 de julho de 2010

Meu plano

Me parece obvia a solução:
Ver minhas palavras transformadas
Em notas da sua canção.
Faz desse momento eterno.
Imensidão.
De céu azul,
Perfume de flor,
De pé no chão.
Me entrega teu sorriso
Deixa eu cuidar
Dele e ti.
Entrega a chave,
Me deixa entrar.
Fecho os olhos,
Prometo não reparar,
Na bagunça que fizeram.
Aliás,
Se você quiser
Eu posso arrumar.
Mas não garanto
Meio que sem querer,
Deixar uma parte de mim
Aí em você.
Daí pode decidir depois
Se por onde você ta indo
Podemos ir nós dois.

3 comentários:

Vanessa Albuquerque. disse...

Que bonito =) Ajudou ler isso pra meu momento fossa-sofá ao som de Oswaldo Montenegro! =P

Marco..^^ disse...

Como sempre lindo..

aquela palavrinha, em negrito e itálico...

Leandro disse...

Os 'bla-bla-blas' mais lindos que ja vi! Otimos poemas, parabens, vou te seguir ^^

Hugs.